Porque a satisfação da sua equipe de Veterinários não é semelhante a sua?


Para deixar a equipe satisfeita com o trabalho (e com o Hospital Veterinário ou Clínica Veterinária) é de fundamental importância adotar uma ampla discussão com a equipe, afim de listar todos os desejos, priorizá-los em uma lista, implementar tais iniciativas e utilizar parte das reuniões para discutir as experiências implementadas.


Adequar medidas como essas podem traduzir em um aumento de 32% no nível de satisfação e, portanto, de lealdade dos funcionários com a sua empresa.


O desejo dos Colaboradores, geralmente, é extenso e mutante - justamente por isso é necessário tais cuidados com essas medidas de fidelização dos Colaboradores.



Por que o nível de satisfação dos empregados não condiz com as expectativas dos empregadores?


As empresas precisam aferir a percepção, disposição e expectativas de seus funcionários, mesmo em períodos de recessão.


Após uma década de crescimento e desemprego historicamente baixos, as organizações se veem, atualmente, em um mundo bastante diferente. E mesmo que sejam forçadas a cortar pessoal e apertar mais os cintos, gerentes inteligentes devem manter os olhos abertos para o horizonte: em algum momento as recessões chegam ao fim, e quando esta acabar, empresas dos mais variados setores retornarão a um cenário em que manter seus talentos satisfeitos é prioritário.


Isso pode ser desafiador. De acordo com um estudo global realizado pela Gartner, empresa de consultoria e pesquisa, em 2019 as organizações gastaram, em média US$ 2,4 mil, por funcionário, em iniciativas para melhor corresponder às expectativas de sua força de trabalho. Tais iniciativas costumam incluir políticas flexíveis, reestruturação do ambiente de trabalho e oportunidades de aprendizado e desenvolvimento, para citar apenas alguns exemplos. Os pesquisadores observaram que quando as organizações conseguem cumprir tal propósito, ganham em produtividade, dedicação e retenção de sua mão de obra; contudo, o retorno sobre o investimento (ROI, na sigla em inglês) é decepcionante: apenas 13% dos funcionários que participaram do estudo relataram estar plenamente satisfeitos no emprego. “Apenas investir nesses programas não é suficiente”, afirma Caroline Walsh, vice-presidente de recursos humanos da Gartner. “Empresas que adotam essa prática somente aumentam as expectativas”, criando um círculo vicioso no qual o desejo do funcionário e os gastos organizacionais se retroalimentam.


Os gerentes devem ter uma visão de longo prazo, concentrando-se em eventos importantes e não em incidentes menores

O estudo — com quase 150 executivos de RH e 3 mil empregados espalhados por todo o mundo — revela que, para obter melhores retornos, as empresas precisam complementar esses investimentos com medidas que auxiliem a moldar a compreensão das pessoas acerca de suas experiências. Trata-se de um processo composto de três fases.


Ajustar as expectativas. Muitas organizações perguntam a seus funcionários o que eles anseiam de sua experiência profissional — mas param por aí. “Expectativas são relativas”, comenta Walsh. Segundo ele, estas são influenciadas por trabalhos anteriores, eventos pessoais, colegas e outros fatores. Além disso, podem ser incompletas: estudos mostram que apenas 20% dos empregados são honestos quanto a suas expectativas. E expectativas podem ser inviáveis ou impossíveis de cumprir.


Portanto, toda empresa deve ser transparente a respeito do que pode — e não pode — oferecer, de acordo com os recursos disponíveis e prioridades — e ambos os fatores mudarão conforme os altos e baixos da economia. “É preciso que existam proteções”, explica Walsh. “Esta ideia é relevante para toda a empresa? Tem a ver com nossos objetivos de negócio e com nossas estratégias?” Uma vez estabelecidas essas proteções, o RH deve envolver os empregados para que se crie um cenário de expectativas que abranja a empresa como um todo. Isso pode ser feito, por exemplo, por meio de questionário no qual eles digam que mudanças fariam e o que os motiva a ir para o trabalho todo dia.


Por fim, em vez de emitirem diretrizes verticais e indiscriminadas sobre que esperar, os gerentes devem conversar individualmente com os funcionários com o objetivo de alinhar a experiência almejada por cada um com a visão organizacional. No Silicon Valley Bank (SVB), os funcionários criaram “modelos de experiência” em workshops de um dia de duração elaborados para ajudá-los a determinar e documen